quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

‘Se você não construir o seu sonho, alguém irá contratá-lo para ajudar a construir o dele.’



A citação de Tony Gaskins nos põe diante de nossas escolhas, e de quanto hipotecamos nossos sonhos por falta de perspectiva no futuro. Se não há nenhum plano específico, nenhum esforço no sentido de realizar, o que está acontecendo.


Viver ou apenas existir?
Bem provável que nesse momento estejamos empenhados em realizar algum sonho de outra pessoa; não há nada de errado nisso, desde que estejamos nos permitindo trabalhar simultaneamente para si e para o outro. 
Agora, se não estivermos dedicando nem tempo parcial, e não há nada que motive suficientemente para superar a tendência de acomodação, é algo preocupante. Improvável que cheguemos algum lugar em nível de satisfação sem realizar desejos próprios
Permanecer na zona de conforto, embarcando no projeto alheio fará com que acumulemos frustrações; não há como sentir prazer através do outro, é possível vibrar com a realização de um parente, amigo, colega, porém não há nada mais gratificante do que atingir objetivo traçados a partir da primícia de um sonho, além de tudo é benéfico para a autoestima. 
Para algumas pessoas isso vem através de estudo, para outras trabalho, lazer, dinheiro e tudo o que ele pode proporcionar (desde que seja resultado, não o ponto de partida), pode estar relacionado com independência, com liberdade, aprender algo novo, superar medos, tudo delineado como desafio. 
Às vezes precisamos de trabalho em equipe para realizar um sonho, conciliando habilidades, mas os membros dessa equipe entram como coadjuvantes, pois o ator principal somos nós, que temos o roteiro em mãos e iremos dirigir o espetáculo da própria vida, para alcançar o resultado almejado.
O fato dos membros dessa equipe terem os próprios sonhos faz toda diferença na motivação com que dedicam seus esforços, pois estão entusiasmados, e disso pode depender a realização dos próprios anseios. Quando perseguimos um sonho a nível profissional, recebemos para fazer o que amamos, e isso vira uma diversão.
Qual é o seu maior sonho?
O primeiro passo neste processo é reconhecer quantos sonhos realmente temos. Pensar em todas as coisas que realmente gostamos de fazer, ou gostaríamos de aprender; importante considerar todas as diferentes partes da vida em que cabem sonhos e aspirações.
Qual a minha responsabilidade em relação ao que quero realizar? Quem são as pessoas envolvidas? Que grupo social quero me juntar se tivesse escolha? É válido dedicar alguns momentos para pensar sobre o que estamos interessados em fazer, aonde queremos chegar.
Que tal pegar um papel e anotar todas essas coisas. Tentar conseguir algo em diferentes esferas da vida, desde diversão até trabalho, habilidades esquecidas, lugares para conhecer, algo para aprender, e melhorias que só fariam bem. Não importa o tamanho da lista, desde que seja feita.
Feito isso, importante sintonizar na realidade. O que temos que fazer para começar, onde estamos e aonde iremos. A distância não é tão importante quanto a motivação. Se estivermos dispostos a fazer o que for preciso para alcançar, vale a pena manter na lista, para isso nossos sonhos precisam ser maiores que os obstáculos. 
Ninguém pode viver o nosso sonho, seria como querer conhecer Paris e enviar alguém no lugar para que conte depois, almejando sentir as mesmas sensações. 
Auriane Rissi

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

IMPORTÂNCIA E ÁREA DE ATUAÇÃO DA PEDAGOGIA

A sociedade contemporânea tem sido assinalada por rápidas modificações de desempenho, que se refletem claramente na área educacional. Para acompanhar essas alterações, governos e educadores se empenham numa fundamentada reconstrução sobre a concepção de educadores. Através desse contorno contemporâneo dado à educação e às sucessivas mudanças em seu conceito, deixa de ser reservada a atuação de ensino-aprendizagem somente em espaços escolares formais, esse procedimento atravessa os muros da escola, para diferentes e diversos setores como: ONGs, família, trabalho, lazer, igreja, sindicatos, clubes, etc. Faculta-se atualmente devido às mudanças ocorridas um novo cenário para a educação, dando uma cartografia significante à educação não formal.

O pedagogo, na sociedade em que vivemos passa a atuar como educador social em empresas, hospitais, ONGs, associações, igrejas, eventos, emissoras de transmissão (rádio e Tv), formando atualmente, um novo panorama de ação deste profissional, que ao atravessar a divisória da escola, invalida preconceitos e idéias de que o pedagogo está apto para exercer suas funções apenas na sala de aula. Nos dias atuais o lema é de que onde houver uma prática educativa, se instala uma ação pedagógica. O processo de ensino-aprendizagem é vivenciado não somente dentro da escola, mas é uma ação que acontece em todo e qualquer setor da sociedade, que se caracteriza como a sociedade do conhecimento, porque a educação formal e a não formal caminham paralelamente e tornam a educação o principal instrumento contra a desigualdade social.

Pedagogia se refere à arte, ciência e profissão de ensinar. O curso de Pedagogia tem sua origem vinculada à Faculdade Nacional de Filosofia, Ciências e Letras e à de Educação, criada em 1937. A licenciatura em Pedagogia, nos termos das diretrizes curriculares nacionais, assegura a formação de profissionais da educação prevista no art. 64 da Lei nº 9394/96 que diz:A formação de profissionais de educação para administração, planejamento, inspeção, supervisão e orientação educacional para a educação básica, será feita em cursos de graduação em pedagogia ou em nível de pós-graduação, a critério da instituição de ensino, garantida, nesta formação, a base comum nacional. Ao mesmo tempo em que forma professores, a Pedagogia prepara pessoas capazes de compreender e colaborar para a melhoria da qualidade em que se desenvolve a educação na realidade brasileira, envolvidos e compromissados com uma formação da ideia de transformação social.

O curso de licenciatura em Pedagogia terá carga horária mínima de 3.200 horas de efetivo trabalho acadêmico. Assim, o curso de graduação em Pedagogia oferece ao pedagogo uma formação integrada para exercer a docência nas séries iniciais no Ensino Fundamental, na Educação Infantil e nas disciplinas pedagógicas dos cursos de formação de professores e também para atuar na gestão dos processos educativos escolares e não-escolares bem como na produção e difusão do conhecimento do campo educacional.

As atividades docentes também abrangem a participação na organização e gestão de sistemas e instituições de ensino, no planejamento, execução, coordenação, acompanhamento e avaliação de tarefas próprias do setor da Educação; planejamento, execução, coordenação, acompanhamento e avaliação de projetos e experiências educativas não-escolares; produção e difusão do conhecimento científico-tecnológico do campo educacional, em contextos escolares e não-escolares.

Fontes consultadas: DCN da Pedagogia

A maior petição em defesa das abelhas de todos os tempos!


Em todo o mundo, as abelhas estão enfrentando uma crise que ameaça nossa alimentação. O Canadá está estudando a banir os piores químicos responsáveis pela morte destes insetos, o que pode virar o jogo. Mas a indústria do agrotóxico está lutando contra esse banimento, e somos nós que vamos parar esse lobby. Vamos defender as abelhas!! Assine com apenas um clique:
INCLUA MEU NOME
Queridos amigos,

o imidaclopride é um químico terrível que é usado em boa parte das frutas e vegetais do mundo e que ameaça o ciclo de vida das abelhas e de outros insetos. 

Neste momento, o Canadá estuda a possibilidade de bani-lo. Eles abriram uma consulta pública para ajudá-los a decidir, mas poderosos da indústria de agroquímicos estão fazendo lobby pesado para proteger sua produção multimilionária.

Vamos fazer com que o Canadá se mantenha firme! Inclua seu nome na petição abaixo com apenas um clique, e antes do encerramento da consulta pública, vamos enviar o maior apelo de todos os tempos para que eles ignorem o lobby e defendam as abelhas!

Defenda as abelhas! Peça ao Canadá para banir esse agrotóxico

Para o Primeiro-ministro Justin Trudeau, todos os líderes mundiais e ministros da Agricultura:

Nós exigimos o banimento imediato dos pesticidas neonicotinoides. O desaparecimento catastrófico de colônias de abelhas pode colocar toda nossa cadeia alimentar em risco. Se vocês agirem urgentemente e com cautela, podemos salvar as abelhas da extinção.

Defenda as abelhas! Peça ao Canadá para banir esse agrotóxico

Abelhas e outros insetos como efemerópteros, moscas e mosquitos são seres extraordinários, responsáveis pelos elementos essenciais para a vida na Terra. Por exemplo: as abelhas são responsáveis, sozinhas, pela polinização de quase três quartos das culturas fundamentais do planeta. Mas especialistas afirmam que o imidaclopride está ligado ao colapso de colônias de abelhas e ao desaparecimento generalizado de populações de insetos – o que ameaça nosso mundo e nosso sistema alimentar.

A Monsanto está sedenta para se fundir com a Bayer, enquanto a Dow Chemical quer se unir à DuPont. Esses gigantes estão ficando ainda mais poderosos e aumentando a pressão para continuar vendendo seus venenos. Mas a Europa impediu o uso desses produtos assassinos de abelhas depois que a Avaaz encheu ministros com milhares de mensagens. O próximo passo é o Canadá. Se conseguirmos fechar esse mercado, isso pode ser o começo de um efeito dominó que levaria vários outros países a banir este tipo de agrotóxicos também.

A consulta pública do Canadá poderá decidir o destino destes venenos. Se nós marcarmos presença, o banimento pode se espalhar! A consulta termina em questão de dias! Inclua seu nome:

Defenda as abelhas! Peça ao Canadá para banir esse agrotóxico
A ambientalista Rachel Carson, que liderou os esforços para banir o fatal pesticida DDT nos EUA, escreveu: “Aqueles que admiram a beleza da terra encontram reservas de força que durarão enquanto houver vida.” Vamos nos inspirar na beleza e na força milagrosa da natureza que nos rodeia para nos unirmos hoje em defesa das abelhas!

Com esperança,

Nell, Ari, Oli, Camille, Ricken e a equipe da Avaaz

Mais informação:

Agrotóxico ameaça vida das abelhas e de outros animais (Greenpeace)
http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Noticias/Agrotoxico-ameaca-vida-das-abelhas-e-de-outros-animais/

Morte de insetos põe agricultura em risco e pode custar bilhões ao Brasil (Folha de S.Paulo)
http://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2016/12/1837269-morte-de-insetos-poe-agricultura-em-risco-e-pode-custar-bilhoes-ao-brasil.shtml

Abelhas, as primeiras vítimas do apocalipse apontado no ‘relógio’ dos cientistas? (G1)
http://g1.globo.com/natureza/blog/nova-etica-social/post/abelhas-primeiras-vitimas-do-apocalipse-apontado-no-relogio-dos-cientistas.html

O Canadá acabou de dar um grande passo na direção do banimento de um terrível pesticida (Mother Jones, em inglês)
http://www.motherjones.com/environment/2016/11/while-trump-mulls-gutting-epa-canada-about-ban-major-pesticide  

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

O Brasil foi descoberto pelo Rio Grande do Norte?

ASSECOM/RN

Não, a caravela de Pedro Álvares Cabral não aportou primeiramente na Bahia, em 22 de abril de 1500, conforme ensinam os livros de história. O descobrimento do Brasil se deu pelo Rio Grande do Norte, precisamente na Praia do Marco, município de Touros.

Pelo menos essa é a teoria levantada por historiadores e estudiosos respeitados. E para corrigir esse “equívoco” e reescrever a história do nosso descobrimento, uma série de seminários para discutir o tema está sendo arquitetada para o primeiro semestre de 2017, em Natal.

A ideia de levantar o debate em torno da história do Brasil partiu da Secretaria de Estado do Turismo do RN e da Empresa Potiguar de Promoção Turística do RN (Emprotur) e contará com a participação de importantes pesquisadores do assunto.

“Essa discussão merece ser aprofundada. Outros equívocos históricos já foram corrigidos e este pode ser mais um. Vamos dar a César o que é de César. Evidências mostram que o descobrimento se deu no litoral potiguar”, comentou o secretário estadual de Turismo, Ruy Gaspar.

A presidente da Emprotur, Aninha Costa, acredita no fato como uma nova possibilidade de projetar o turismo histórico-cultural potiguar. “Além da discussão em torno de um tema importante, também teremos a chance de divulgar nosso Estado na mídia, para além do Sol e Mar”.

A professora-doutora Rosana Mazaro, do Departamento de Turismo da UFRN, tem dado o suporte teórico à empreitada. Ela é também velejadora e une conhecimentos científicos e práticos para embasar cinco evidências para provar que o Brasil começou pelo RN.

Evidências
“A primeira é pelas correntes marítimas que direcionariam as caravelas naturalmente ao RN. Há uma dificuldade imensa para se chegar da Europa à Bahia e, em contraponto, facilidade para o RN. Há navegadores, sem exagero, que vão até Dakar (na África) para se aproximar do Brasil tamanho a força das correntes”.

A segunda evidência apontada pela professora é o monte avistado pelos portugueses ser o Pico do Cabugi, na região central do RN. Pescadores nativos até hoje tomam o Pico como referência para voltar à terra. Enquanto o Monte Pascal, na Bahia, sequer é um “monte”, mas uma torre, cortada e sem “pico”. 

A terceira seria a presença de “aguada” no litoral, conforme consta na carta do descobrimento. Aguada seria água doce, presente nas proximidades do Marco de Touros e inexistente em Porto Seguro, na Bahia.

A penúltima evidência seria o Marco de Touros, diferente do fincado na Bahia. O daqui é esculpido com símbolos e brasões semelhantes ao marco chantado no município de Cananéia, em São Paulo, que seria o segundo marco português no Brasil.

Por último, o argumento mais evidente apontado pelos estudiosos: consta no mapa português que eles navegaram duas mil léguas ao Sul do país para fincar o segundo marco. Essa distância corresponde exatamente o percurso do Estado potiguar a São Paulo. Caso partisse da Bahia, o segundo marco estaria fincado na Argentina.

Fonte: http://www.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=136385&ACT=&PAGE=&PARM=&LBL=Reportagens

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

IFRN oferta 120 vagas em editais de especializações


 
IFRN oferta 120 vagas em editais de especializações
A Pró-Reitoria de Ensino do IFRN divulgou no final da tarde de hoje (19), os editais Nº 38/2016, Nº 39/2016 e Nº 40/2016, referentes a oferta de vagas em cursos de especializações. 
Os editais compartilham do mesmo cronograma, as inscrições serão realizadas das 14h do dia 3 de janeiro de 2017 até às 18h do dia 23 janeiro de 2017. Os resultados preliminares e finais serão publicados, respectivamente, nos dias 21 de fevereiro de 2017 e 14 de março de 2017. As matrículas dos aprovados serão realizadas nos dias 16 e 17 de março de 2017. 
O processo de seleção será realizado através de uma Comissão de Seleção que avaliará o currículo do candidato e o histórico acadêmico do curso de graduação, observando o Índice de Rendimento Acadêmico (I.R.A). A classificação obedecerá à ordem decrescente do total de pontos obtidos. 
O edital Nº 38/2016 está ofertando um total de 76 vagas, na ampla concorrência, sendo 40 vagas para o curso de Educação e Contemporaneidade, ofertado pelo Campus Mossoró; e 36 vagas para a especialização em Ensino de Ciências Naturais e Matemática, ofertado pelo Campus Parnamirim. Os alunos terão aulas duas vezes na semana: quintas e sextas-feiras (Campus Mossoró) e terças e quintas-feiras (Campus Parnamirim). 
Já o edital Nº 39/2016 selecionará 35 alunos que cursarão especialização em Gestão Ambiental, no Campus Natal-Central, no turno matutino e vespertino, com aulas nas segundas e terças-feiras. O edital também é de ampla concorrência. 
O edital Nº 40/2016 é diferenciado, pois oferta vagas exclusivamente para servidores do IFRN. São nove vagas, sendo cinco vagas para o curso de Gestão Ambiental, no Campus Natal-Central; e quatro vagas para o curso Ensino de Ciências Naturais e Matemática, no Campus Parnamirim. 
As 120 vagas são para alunos que ingressarão nas especializações no primeiro semestre de 2017. 

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Especialização em Atenção Integral em Álcool e outras Drogas





Instituto
Instituto de Psiquiatria – IPq-HCFMUSP
Descrição
O curso de especialização do GREA – Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas – reúne alguns dos principais profissionais e pesquisadores na área de álcool e outras drogas do Brasil e tem como proposta ofertar conhecimentos baseados em evidências científicas da mais alta qualidade para proporcionar aos estudantes um nível de conhecimento e interação que sirva não só como formação de especialista, mas que estimule a educação continuada, crítica e autônoma
Coordenador
Período do curso
De 10/03/2017 a 28/04/2018
Carga Horária
450 horas.
Aulas teóricas – 236
Aulas com metodologias ativas: 88 horas + 36 horas de orientação de Projetos de Intervenção – 124 horas
TCC – 90 horas.
Dia da Semana
Sexta-feira e Sábado (aulas quinzenais)
Modalidade
Especialização
Horário das aulas
18h00 às 22h00 – Sexta-feira
09h00 às 18h00 – Sábado
Local do Curso
Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP
Av. Dr. Ovídio Pires de Campos, 785, – GREA – Cerqueira Cesar
Escola de Educação Permanente HCFMUSP
R. Dr. Ovídeo Pires de Campos, 471 – Cerqueira Cesar
Número de vagas
Minimo 45
Máximo 60

Público Alvo
Profissionais da rede de atenção integral ao tema que atuem direta ou indiretamente com a população usuária, familiares e a comunidade. Médicos, psicólogos, assistentes sociais,terapeutas ocupacionais, advogados, educadores físicos, pedagogos, fisioterapeutas, enfermeiros, farmacêuticos, dentistas, bioquímicos, nutricionistas, administradores e historiadores.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Sintrajufe/RS abre inscrições para os concursos Literário e Fotográfico





 
 
Estão abertas as inscrições para a 12ª edição dos concursos Fotográfico e Literário Mario Quintana, promovidos pelo Sintrajufe/RS. O Concurso Literário visa despertar talentos literários, promover a literatura e homenagear Mario Quintana. As inscrições estão abertas em duas modalidades: Regional e Nacional. Além disso, divide-se em categorias literárias: conto, crônica e poesia. As inscrições ficam abertas até o dia 18 de julho.
 
No Concurso Fotográfico há duas categorias: Sintrajufe e Geral. O tema em 2016 é Contrastes. Observe os contrastes à sua volta: luz e sombra; cor e preto e branco; quente e frio; amor e ódio; Inter e Grêmio; riqueza e pobreza; pequeno e grande; alegre e triste; liso e crespo, enfim. Exercite o olhar e capture, através das lentes do seu equipamento fotográfico, os contrastes de todos os dias. O prazo final de inscrições é dia 15 de agosto.
 
Para mais informações, faça contato pelo telefone (51) 3235-1977, com Ana Paula Faria ou Fabrine.

 
Leia AQUI o regulamento do Concurso Literário Mario Quintana.

 
Leia AQUI o regulamento do Concurso Fotográfico.

Curso de atualização para gestores e profissionais de OPME


Curso de atualização para gestores e profissionais de OPME
Está disponível no AVASUS o curso Gestão de Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME), desenvolvido para qualificar gestores e profissionais de saúde que trabalhem nas atividades de aquisição, solicitação, recebimento, armazenagem, dispensação, utilização e controle de OPME.
O curso aborda o ciclo dos processos de aquisição, acondicionamento e gestão de estoque, garantindo o uso racional desses itens e da adoção de boas práticas.
A iniciativa é desenvolvida pela parceria entre a Secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) e a Secretária de Atenção à Saúde (SAS), por meio dos Departamentos de Gestão da Educação na Saúde (DEGES) e Atenção Especializada e Temática (DAET).
Acesse aqui o curso
Para conhecer outras ofertas educacionais do AVASUS acesse www.avasus.ufrn.br